27.8.16

Entrevista: Autor Raul Otuzi

A entrevista de hoje é com o autor do livro "Tristes finais para começos infelizes" Raul Otuzi!
(Para conferir a resenha clique AQUI).
O Raul é parceiro aqui do blog, tem um trabalho incrível, e através dessa entrevista vocês poderão conhecê-lo um pouco mais.





1-      Como foi a sua trajetória para a escrita do livro “Tristes Finais Para Começos Infelizes”? E o que te motivou a escrevê-lo? 


Escrever sempre foi a minha grande paixão. Desde menino, sinto necessidade de registrar no papel aquilo que meu cérebro e meu coração criam. É algo natural e espontâneo. Em relação ao meu livro, especificamente, comecei a escrevê-lo há 18 anos. Gosto de retratar os relacionamentos humanos, com um olhar crítico e sarcástico. Assim, quando eu tinha vinte e poucos anos, eu fiz vários contos. Mas só fui atrás de publicá-lo agora, após ter sido um dos vencedores do prêmio FNAC – Novos talentos da Literatura. Depois desse prêmio, eu revisitei meus antigos escritos, reescrevi algumas histórias e mantive outras intactas. Assim nasceu a versão final do “Tristes Finais Para Começos Infelizes.” 
Fazer os leitores pensarem e, ao mesmo tempo, se divertirem é a minha grande motivação. 


2- Bom, seu livro é um livro de contos. São personagens aleatórios que vieram direto da sua imaginação, ou são personagens no qual já conviveu ou teve alguma experiência parecida? 

Minhas personagens são inspiradas em pessoas de carne e osso, mas também em gente que só existe em minha imaginação. É uma grande mistura, um mosaico intenso de parentes, amigos, amores, desamores, conhecidos e desconhecidos. 


3- Posso deduzir que como autor, também é adepto à leitura. Quando começou esse gosto pelo universo literário? E qual o seu livro de cabeceira? 

Como eu já disse, escrevo desde criança, recebi muito incentivo para a leitura, principalmente por parte do meu pai. Os meus livros de cabeceira foram mudando conforme o tempo, mas posso dizer que, na adolescência, meus ídolos eram os poetas, Drummond e Fernando Pessoa, principalmente. 
Luis Fernando Verissimo e Nelson Rodrigues foram a minha maior influência até os vinte e poucos anos. Depois parti para Saramago, Cortázar, Alice Munro, King. 
Hoje estou lendo bastante J.M. Coetzee. Recomendo. Gosto também de Clarice Lispector. Muito. 


4- Fale um pouco mais pra gente sobre esse seu livro. Superou suas expectativas? O público tem gostado? 

A repercussão tem sido muito bacana. O público tem elogiado, assim como os blogueiros. Cada um se identifica com um conto, conforme sua experiência de vida ou gosto pessoal, claro. Entretanto, percebo que alguns contos são praticamente unanimidade, como ‘Dedo Na Ferida’, ‘O Vingador do Trânsito’ e ‘O Inventor de Profissões’. Eu tinha boas expectativas e elas estão sendo supridas. Mas eu quero mais...rs 


5- Atualmente, qual seu maior sonho? 

Meu maior sonho é inspirar pessoas com as minhas histórias. Conquistar o respeito cada vez maior dos leitores. Quero publicar novos livros e alcançar mais corações e mentes. Enfim, ser um escritor reconhecido. 


6- Você está escrevendo algum outro livro no momento? Se sim, fale um pouco mais sobre essa nova obra. Ou ainda não está colocando em prática isso? 

Estou sim. Aliás, acabei de escrevê-lo. É um romance dessa vez. E o tema é o mesmo do meu livro de contos: o relacionamento humano, amoroso, seus abusos e absurdos. Gosto de pessoas e busco retratar o seu universo, dúvidas e sentimentos. No momento, estou negociando com alguns editores para publicá-lo. 


7. O que você acha sobre o mercado para autores nacionais? É difícil? Dá para “viver” apenas como escritor? 

É difícil. Mesmo para os escritores consagrados. No Brasil, ainda se lê pouco, você sabe. Então, o mercado é bastante complicado, ainda mais para quem está começando. Mas é preciso continuar a escrever e acreditar. Eu gostaria de ter uma carreira literária consistente e lucrativa, quem sabe... 


8. Quais são suas dicas básicas para quem quer escrever um livro? 

Leia, leia, leia. Escreva, escreva, escreva. Não planeje muito, descarregue as palavras e depois faça as correções e o refinamento necessário. Observe as pessoas ao seu redor e tenha sensibilidade. 


9. Você tem algum ritual para escrever? Algum horário, rotina? E quando e como percebeu que queria escrever um livro? 

Ritual não, mas gosto de escrever com silêncio total ou ouvindo música. Vou de um extremo a outro. Prefiro escrever de noite, de madrugada. Foi assim, expressando alguns sentimentos de forma solitária, que percebi que queria ser escritor. 


10. Para finalizar, nos fale um pouquinho sobre “Tristes finais para Começos infelizes”, e como pode ser adquirido. No final deixei uma mensagem para nós leitores ou alguma frase que resuma todo esse caminho. 

Meu livro tem fluidez, verdade e ironia. Gosto de surpreender no final de cada conto, fazer o leitor se espantar e refletir. 
Pode ser adquirido em sites, livrarias ou diretamente solicitando um e-mail para mim: raulotuzi@gmail.com. Nesse caso, é melhor porque ele vai com marcador de texto e devidamente autografado... rs 
Quero agradecer o seu apoio, Bárbara, isso é fundamental para novos autores como eu. Obrigado de coração. 
 Mensagem final: Não deixem que começos infelizes se tornem tristes finais, sempre há a possibilidade de mudar a história. A sua história

Obrigada Raul por ter aceito essa entrevista, parabéns pelo livro, é maravilhoso, e eu super recomendo para todos os leitores do blog. Espero que você alcance todos as suas metas e objetivos.
PS: Já quero ler esse romance que tá vindo por aí rsrs.

14 comentários:

  1. Oiii, como vai?
    Gente eu tenho tanta vontade de ler esse livro que você nem imagina, já tive diversas oportunidades de ler as resenhas dessa obra e por todas me encantei, adore ter tido a oportunidade de conhecer melhor o autor <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, bem e você?
      Que bom que gostou, espero que tenha a oportunidade de ler o livro um dia.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá
    Não conhecia o autor e achei muito bacana a entrevista.
    Mas não sei se por causa do do título do livro e algumas respostas do autor me senti triste, me deu vontade de ler o livro
    Mas parabéns pela entrevista e sucesso ao autor.
    Bjs
    www.mundo literando.combr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcia, que bom que gostou!!!
      Obrigada
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Que autor mais legal. Eu não costumo ler livros de contos, mas me interessei porque o autor é legal e adorei as dicas dele.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    primeiramente tenho que dizer que o título do livro do Raul chama muita atenção!
    em segundo lugar tenho a dizer que não o conhecia e nem o livro. Achei a entrevista bem interessante e deixo aqui os meus votos de sucesso para ele.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel
    www.relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jess, que bom que gostou, espero que tenha a oportunidade de ler o livro.
      Beijos

      Excluir
  5. Não conhecia o autor, mas sou adepta à leitura de contos. A entrevista foi legal, e as respostas com um tom de tristeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não conheço o trabalho do autor, até porque leio poucos contos. Mas adorei a entrevista e poder conhecer o trabalho do autor é muito divertido.

    ResponderExcluir
  7. Oi Bárbara! Linda entrevista, adorei saber como acontece o processo de criação do Raul e eu também penso em escrever algo significativo para expor num livro, só não tenho tido tempo mas a vida é assim cheia de momentos especiais...Um dia, inspirada assim como Raul quero escrever!Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mila!!!
      Fico muito feliz que tenha gostado.
      Boa sorte pra você e sucesso!!!
      Beijos

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...